Nutrição Evolutiva: Do paleolítico para atualidade!

NUTRIÇÃO


O combustível que potencializa sua energia.

Precisamos buscar nossas primeiras referências, para entender como era sua alimentação, e como foi seu processo de evolução até chegarmos nos conceitos atuais sobre nutrição.

Nossos ancestrais eram nômades, caçadores e coletores, logo, nosso combustível era derivado da gordura, dos carboidratos e das proteínas, de origem tanto animal como vegetal.


Um dos melhores nutricionistas que conheço, além de meu brother, Leonardo Supra é especialista em nutrição evolutiva e com anos de experiência com atletas de alta performance, principalmente no Crossfit. Esse texto é de sua autoria, embasado em seus estudos, conversas e consultas, mostrando uma nova forma de olharmos para a nutrição.

O estilo de vida Paleolítico

Paleolítico refere-se ao período anterior à invenção da agricultura, período esse cujo qual nossa espécie está geneticamente adaptada, tanto no quesito nutrição, quanto no quesito movimento. Da mesma forma que estamos geneticamente adaptados à gravidade da terra, à concentração de oxigênio da nossa atmosfera, à temperatura do nosso planeta, pois estas são as condições que estavam presentes durante a nossa evolução, a dieta com a qual evoluímos moldou nossos genes.


Não existe um único tipo de dieta paleolítica.


Hominídeos nômades vagaram pela África, e posteriormente por todos os continentes, comendo aquilo que estava disponível. No litoral, isso significava um predomínio de pesca. Nas savanas, um predomínio de caça. Na maioria dos lugares, era suplementada com vegetais, frutas silvestres e raízes, além de insetos e larvas. Em locais como o círculo polar ártico, praticamente não havia vegetais disponíveis por pelo menos 6 meses. Em ilhas do pacífico, o coco chegava a compor mais da metade do consumo calórico. Assim, não há uma dieta paleolítica, mas várias. Mais importante do que as diferenças entre estas dietas, é o que todas têm em comum: a ausência de produtos refinados, alimentos processados e grãos.

Perceba que estamos falando de um estilo de vida, e não simplesmente de uma dieta da moda. O estilo de vida paleolítico precisa ser adaptado aos tempos modernos. Afinal, é pouco provável que maioria de nós pretenda consumir insetos e larvas ou caçar os animais selvagens com as próprias mãos.


A grande proporção de pessoas intolerantes à lactose atesta nosso despreparo evolutivo para lidar com laticínios após a primeira infância. No entanto, para aquelas pessoas que não apresentam tal intolerância, os laticínios fermentados não parecem apresentar maiores problemas. Os graves problemas associados ao consumo de carboidratos atestam nosso despreparo evolutivo para lidar com essa classe de macro nutrientes, que era escassa durante 99,5% da nossa evolução.


O fato de que podemos sintetizar todos os carboidratos de que necessitamos a partir de proteínas e triglicerídeos também sublinha a ausência eventual dos mesmos em nosso passado paleolítico. Os problemas associados ao consumo de grãos, além do fato de serem a maior fonte de carboidratos da vida moderna, são um capítulo à parte. Eu afirmo, sem sombra de dúvida, que a simples eliminação total dos grãos (pão, massa, farinha, biscoitos, etc, enfim uma dieta livre de glúten) fornece talvez 70% de todo o benefício de uma dieta paleolítica (em termos não apenas de perda de peso, mas de controle de síndrome metabólica e de patologias autoimunes).


Em pinceladas gerais podemos descrever da seguinte forma uma dieta paleolítica:


- Ausência de grãos

- Ausência de açúcar

- Ausência de laticínios

- Ausência de alimentos processados


Devemos estar totalmente conectados com aquilo que é necessário para suprir as nossas necessidades nutricionais. Entretanto, para viver em alta intensidade dependemos da integração entre nossos 4 corpos (físico, mental, emocional e espiritual) e buscar esse equilíbrio é essencial para desenvolver a performance humana.


Alimentação saudável, sono apropriado e exercício físico, garantem alterações metabólicas benéficas ao nosso corpo, proporcionando maior poder de compreensão de nossas emoções. Estar consciente desta tarefa é altamente compensador, criar harmonia entre todos esses elementos é buscar a excelência no desenvolvimento humano. Desta forma logo percebemos que estaremos preparados para qualquer desafio, não importa qual o objetivo pessoal, você estará pronto para encarar. É nossa tarefa lembrarmos sempre, que fazemos parte deste TODO, e por isso mesmo precisamos nos conhecer primeiro.

INTRODUÇÃO À ZONE DIET


Ao cuidar de sua alimentação, antes de começar a se preocupar com a quantidade de blocos de carboidratos, proteínas e gorduras que devem conter em cada refeição do seu plano alimentar, eu recomendo um simples e difícil passo: concentre-se na qualidade dos alimentos.

Compre frutas frescas, oleaginosas, legumes e carnes. Escolha o local que você possa ter acesso a informações sobre o produto diretamente com o fornecedor como um açougue, peixarias, granjas, feiras, armazéns. Quando for preciso, legumes e carne congelados servem como opção. Os corredores dos supermercados são cheios de carboidratos processados, sem valor nutricional para nosso organismo, mas em algumas aventuras, você pode conseguir algumas azeitonas ou nozes.


Alimentação saudável é perecível.


A deterioração dos alimentos é a decomposição da matéria orgânica na presença de oxigênio, uma vez que a matéria orgânica não é mais viva e capaz de lutar contra o processo. Portanto, se algo não estragar, como cereais (Sucrilhos) o que podemos supor? Ou pouco ou nenhum material orgânico ainda existe no alimento, e isso significa que não é muito nutritivo ou que tenha sido processado e revestido com produtos químicos suficientes para prolongar a deterioração. Nós fomos feitos para comer plantas e animais vivos, bem, eles estavam vivos até que os matou, a fim de comê-los. Cerca de 10.000 anos atrás, nós descobrimos que poderíamos sobreviver, principalmente com o cultivo de plantas e domesticar alguns animais ao lado.


Enquanto a população cresceu descobrimos que cereais e amidos se prestavam à produção em massa com mais facilidade do que as frutas e legumes. Eventualmente acabamos no século 21, onde todos, incluindo o governo dos EUA em conclusão com o Departamento de Agricultura, decidiu que grão deve formar a base da nossa dieta. Isto levou todos a comerem um monte de grãos, e os nossos corpos simplesmente não foram feitos para prosperar em grãos processados.


O consumo excessivo de carboidratos com alto índice glicêmico (alimentos processados) é o principal culpado dos problemas de saúde causados pela alimentação como doenças cardíacas, diabetes, câncer, osteoporose, obesidade, entre outras. Entende-se que carboidrato de alto índice glicêmico são aqueles capazes de elevar o açúcar no sangue muito rapidamente.


São eles:


Trigo, cereais, pão, massas, biscoitos, açúcar de mesa, farinha, panquecas, tortilhas, batatas fritas, doces, bolos, biscoitos e farinha de milho.


A falta de valor nutricional desses alimentos, levaram pessoas a comer mais e mais, pois o que sustentam nosso corpo, é uma dieta de alto valor nutricional. Além disso, porque a saliva começa a digestão na boca, transformando o amido em açúcar, todos se acostumaram a um gosto açucarado para a maioria dos "alimentos", fazendo com que a comida de verdade não tenha sabor, perpetuando ainda mais a preferência por comer algo diferente de comida de verdade, um ciclo que pode levar à obesidade.


Mudar completamente os hábitos alimentares não é tarefa fácil. Mas você não tem que converter completamente a este método de uma só vez, nem completamente converter. Os resultados vão estar de acordo com a sua conversão.


Pouca mudança = zona de conforto = poucos resultados.


Muita mudança = fora da zona conforto = ótimos resultados.


Para ajuda-los, estamos sempre buscando a melhor maneira de levar informação e fazer com que vocês compreendam os porquês das orientações nutricionais. Se você concorda ou não, os fatos são que este conceito nutricional produz corpos humanos extremamente saudáveis, fortes e eficientes. Por que isso acontece pode ser contestado, mas o fato de que essa mudança aconteça é indiscutível.


Na página inicial do site, você encontra um botão para download gratuito do e-book:

"do sedentarismo a performance humana"


Nele, além de sacadas sobre nutrição, você encontra conteúdo referente a biohack, estratégias diárias para potencializar sua energia e produtividade, e um passo a passo para sair da sua zona de conforto e atingir sua performance como ser humano.


Fica na paz.


Brau Reis

@obraureis

0 visualização