SEJA UM DOADOR

Formando Mentes Bonsai.

Continua comigo ai...


Voltemos ao momento do nosso nascimento. Você inicia seu desenvolvimento, ainda sem autonomia, sua família fica por conta de manter sua existência. Os anos passando, e você começa a desenvolver habilidades, como o rastejar, engatilhar, arrisca algumas palavras, adquiri a posição de cócoras, começa a ficar em pé, e nessa fase, geralmente começamos a ter dificuldades em nosso processo de evolução devido o excesso de zelo de nossos amados.


Nessa fase, o cair/levantar é extremamente importante para o processo de ensino-aprendizagem do desenvolvimento motor humano, e é geralmente nessa fase, que começamos a bloquear o enorme potencial humano, nos presenteiam com objetos super tecnológicos, já vemos crianças até de Smartphone não é verdade?! - e tudo que possa proporcionar conforto, segurança, quietude e sedentarismo numa fase em que o que esse ser mais precisa é de movimento.


Jogar bola, arrebentar a cabeça do dedão chutando o chão, brincar de queimado, pique bandeira, pique esconde, pega pega... É através do movimento criativo, da exploração dos espaços, do toque, da queda, do joelho ralado, é assim que essa criança vai desenvolver um adulto forte, que não é bloqueado pelos seus medos, que sabe gerir suas emoções, que saberá trabalhar em grupo e que levantará sempre que preciso depois de uma queda.


Nosso corpo foi feito para movimentar, e passa a ser quase uma crueldade motora, apresentar nessa época, celulares ou qualquer tipo de jogos eletrônicos, onde o único sentido para a utilização dos mesmos é manter a criança calada, quieta no seu canto, sem “atrapalhar” a vida adulta, imóvel, bem parecido com que é feito com animais de estimação que não podem latir, ou pássaros que perdem seu direito de voar livremente fora de uma gaiola.


Essa criança tem um potencial enorme, e desenvolvido esse potencial, ou não, entraremos num outro período. A temida ESCOLA!


Temida, e poderia aqui dissertar sobre o método educacional brasileiro, falar que em minha opinião é um sistema fadado ao fracasso, que não desenvolve a capacidade de raciocínio, desatualizado, desmotivante, pouco ou quase nada criativo, mas farei apenas uma comparação que talvez explique melhor o que de fato estão fazendo com nossas crianças:


Conhece um Bonsai? Se não, eu te explico.


"Bonsai é uma arte oriental de cultivo de plantas em bandejas. Pessoas cortam suas raízes periodicamente, seus galhos e suas folhas e colocam adubo e terra de forma reduzida para que a determinada planta permaneça minúscula, pequena, e é importante analisar que, apesar de ser uma arte bonita, delicada, é uma triste metáfora se trouxermos para nossa realidade enquanto seres humanos: esta é uma arvore a quem não foi permitido o crescimento. E existem mentes Bonsai, mente a quem não foi permitido o crescimento, porque estão sendo podadas com informações que apequenam, que tornam sua vida menor, com crenças limitantes." Kau Mascarenhas.


Claro que existem suas exceções, há escolas que ainda se preocupam com o desenvolvimento de nossas crianças, mas o ponto alto dessa reflexão é sobre o papel de cada personagem no desenvolvimento de nossas crianças. Um conceito que ajuda a entender e melhorar a comunicação entre pais e professores, é o de escolarização e educação.

Educação, do latim educare, significa guiar, instruir, conduzir, preparando o indivíduo para o mundo e para a vida em sociedade. Já a palavra escolarização, de acordo com o dicionário Aurélio, é o ato ou efeito de escolarizar, o conjunto de conhecimentos adquirido nas escolas.


Lendo uma reportagem na Gazeta do Povo, vi o comentário de uma psicóloga especialista em distúrbios de aprendizagem e orientadora educacional do Colégio Salesiano Santa Teresinha, de São Paulo (SP), Ana Tarcitano, para ela educação é uma extensão do processo de formação de uma pessoa, e ocorre durante toda a vida. “É a transferência de valores éticos e morais e é de responsabilidade dos pais. Já a escolarização prepara a pessoa através do conhecimento que garante a aprendizagem na construção do saber”


Não que uma atividade seja exclusiva de um agente ou do outro, os professores podem, e devem, auxiliar os pais no processo educacional, e os pais podem e devem, ajudar os professores no processo de escolarização de seus filhos, o que fica claro é que não podemos omitir ou transferir responsabilidades cujas quais nós mesmos devemos realizar.


A comunicação entre pais e professores, é essencial para o bom desenvolvimento de nossas crianças.




1 visualização